Respeito e seu significado, com resquícios, ainda presente, da Era do domínio da mente, deve receber uma atenção, muito especial, antes de ser expressado por alguém ou exigido do outro.

Os Seres Humanos vivem, ainda, os resquícios, muito presente, da velha densa energia da época da mente.

O Planeta e a Humanidade, por milhares de anos, viveram na Era da mente. Isto é, houve uma supervalorização e prestigio da racionalidade, objetividade, nas experiências de cada indivíduo, nos últimos tempos.

Essa supervalorização da racionalidade, criou a falsa associação, aos Seres Humanos, que sucesso, realização de vida tem relação com poder, controle, segurança.

Poder, controle, segurança, seja de um indivíduo, até à um País, tem uma origem comum, ou seja, no medo.

O medo, quando presente na vida de um indivíduo, gera, em sua mente, a sensação de insegurança.

Essa insegurança transforma a experiência do indivíduo em algo instável.

Assim, para não viver nenhuma instabilidade em sua vida – material ou emocional, profissional e pessoal – o indivíduo, através do medo, cria, em sua mente, uma espiral de vida baseada em luta, batalha, necessidade de estabilidade material, financeira; padronizações no seu estilo de vida familiar, social e profissional.

A consequência, no comportamento do indivíduo que vive dentro dessa espiral do medo, por força do instinto selvagem, é contra-atacar, fielmente, quem ache ou pensa de forma diversa ao seu padrão, inconsciente, de vida.

Esses ataques são expressados de forma física, até a falsa conclusão de um possível “distúrbio mental” – loucura, do outro.

Nesse sentido, o indivíduo torna – se vítima de um padrão advindo da inconsciência de massa, o qual gerará, em sua vida, muitas experiências, as quais estão muito longe de sua verdadeira essência.

O efeito dramático e, triste, da Era da mente, muito presente nos Seres Humanos hoje e, tem sido a base da grande maioria das discórdias, em todo o mundo, inclusive de governantes, é a estratosfera do Ego, no indivíduo.

A mente, com sua deturpação de poder, controle e, segurança concedeu um espaço de vitimização aos Seres Humanos.

Os seres Humanos – não compreendendo mais suas emoções; não sabendo lidar com seus sentimentos, por ter substituído, praticamente tudo em sua vida, pela objetividade e materialização, através do medo – para preencher esse buraco negro interno, deu um espaço enorme ao Ego.

O Ego cria a falsa sensação de poder, de controle. Cria a falsa sensação de que o indivíduo está “ótimo”.

Aliás, essa palavra “ótimo” é muito utilizada, hoje em dia, por quem vive dentro dessa dinâmica da mente baseada no medo. Muitas vezes esse “ótimo” demonstra puro desespero e, sensação de perdido do indivíduo, o qual precisa, desesperadamente, de forma inconsciente, dizer para si mesmo que tudo está bem, na verdade, tudo está “ótimo”.

Essa dinâmica é um ciclo vicioso e, cada vez que o indivíduo continua a vivencia – la, mais sensação de vazio e ilusão ele cria em sua experiência.

Nesse sentido, através do Ego, muitos Seres Humanos se valem da palavra Respeito, no intuito de exigir do mundo que o respeite.

Respeito é uma palavra que tem uma relação intima com a consciência.

Isto é, o indivíduo, para exigir respeito de qualquer pessoa ou, em qualquer situação, primeiro, ele deve saber quem ele é. Ele deve ter um olhar, muito sincero, sobre si mesmo.

Esse processo é chamado de autoconsciência.

Um Ser Humano, autoconsciente, sabe que tem e, quais são, suas qualidades e defeitos; seus acertos e erros. Inclusive, os admitem.

Assim, um Ser Humano autoconsciente, quando sofre qualquer tipo de ofensa, a qual não condiz com sua verdadeira essência, ou seja, com quem ele é, efetivamente (e, não o que seu Ego diz que ele é – pois não condiz com a realidade, mas uma ilusão fantasiosa sobre ele mesmo), sim, pode pedir que o outro o respeite, pois, o que foi feito ou dito não condiz com a realidade em sua experiência.

Nesse ponto, o Ser Humano autoconsciente exerce, em sua essência, sua moral e ética impecável, pois, antes de qualquer pedido de respeito, por saber, efetivamente, quem ele é, ele exerce, naturalmente, o auto respeito.

Portanto, respeito está intrinsicamente interligado com o auto respeito. Ambos atuam juntos.

Assim, por vivermos em uma fase de transição pura entre a Era da mente para a Era do coração – do Amor – faz – se necessário, ainda, antes de pedirmos respeito, iniciarmos nosso processo de autoconhecimento.

Esse processo dará, ao indivíduo, a consciência, plena, de sua essência e, saberá, com maestria, o que condiz com sua realidade e, o que é ilusão do Ego. Isso é auto respeito! Isso é auto Amor! Isso é autocompaixão! Isso é Paz e Harmonia! Gratidão!

 

Momento do Pensamento:

Auto-respeito é o fruto da disciplina. O senso de dignidade cresce com a capacidade de dizer não para si.” (Abraham Joshua Heschel). Fonte: HESCHEL, Abraham Joshua. The Wisdom of Heschel. Farrar, Straus and Giroux, 1986, ISBN 0374513732, 9780374513733, 384 páginas. Página 95. Site: www.frasesdepensadores.com.br

Compartilhe com seus amigos

4 Respostas para RESPEITO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter
Translate Site
Nossos seguidores
Visitantes do Site

Arquivos